Gêmeos passam em medicina da USP e economia da Unifesp pelo Sisu

Contabilidade Fiscal: o que são e quais as melhores práticas?
Fevereiro 8, 2018
Aluna da rede pública é aprovada em 1ª no curso mais concorrido da USP
Fevereiro 8, 2018

Gêmeos passam em medicina da USP e economia da Unifesp pelo Sisu

Os irmãos gêmeos Fernando e Rafael de Lima Monteiro, de 17 anos, foram selecionados pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e já garantiram vaga em cursos concorridos de importantes universidades de São Paulo. Fernando passou na medicina da Universidade de São Paulo (USP), no campus de Ribeirão Preto, e Rafael em ciências econômicas na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), no campus de Osasco.

Ambos cursaram o ensino médio no Instituto Federal de São Paulo, e fizeram cursinho pré-vestibular. Foi a primeira vez que a USP aderiu ao sistema que classifica os candidatos por meio do desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Na estreia, a universidade não conseguiu selecionar candidatos para 11 cursos, e em outros sete não preencheu o número total de vagas.

A lista da chamada regular do Sisu foi divulgada pelo Ministério da Educação nesta segunda-feira (18).

Para Fernando, o fato de ter conseguido disputar uma vaga na USP via Enem foi bom. O Enem não é tão conteudista como a Fuvest, isso facilita a vida de quem veio da escola pública.Fernando cursou o ensino médio no Instituto Federal de São Paulo, onde fazia o técnico de informática integrado ao normal. No passado, fez cursinho no Etapa. Tive de fazer cursinho porque o meu ensino médio foi muito técnico, eles não estavam muito preocupados com o vestibular.

Para concorrer as vagas da USP pelo Sisu, o candidato tinha de necessariamente ter cursado o ensino médio na rede pública de ensino.

Fernando teve média de 825 no Enem, e nota 940 na redação. Segundo ele, com os pesos exigidos pela USP sua nota subiu para 850. Achei que fosse conseguir a vaga porque ainda tinha um folga em relação as nota de corte [fechou em 834], afirma.

O estudante comemorou a aprovação, fará a matrícula, mas adianta que está de olho mesmo nas vagas das universidades públicas de São Paulo. Além do Enem, ele fez as provas da Fuvest, Unesp, Unifesp e Unicamp e agora aguarda os resultados.

Dedicação
Rafael diz que para se preparar, no ano passado, estudava o tempo todo, até nos intervalos das aulas. Foi bem pesado porque a gente saía do cursinho e ia direto para a escola.

Para ele, o curso pré-vestibular foi essencial para a conquista da vaga na universidade, já que a escola na qual os irmãos estudaram era voltada para o ensino técnico. Dependia da iniciativa de cada professor e alguns diziam que o objetivo da escola é formar cidadãos e não pessoas para passarem no vestibular.

O cursinho também foi fundamental para corrigir problemas da escola pública que quem está na rede particular não vai sofrer, afirma o estudante. Rafael acredita que a prova do Enem se equivale aos vestibulares, por isso o exame é justo para selecionar os candidatos.

Aliviado com a vaga garantida na Unifesp, Rafael agora espera a divulgação do resultado da Fuvest. É na USP que ele pretende estudar.

A mãe dos garotos, a contabilista Rosângela Batista de Lima, de 50 anos, diz que eles sempre foram estudiosos. Mas não foi fácil, no ano passado eles estudaram muito. O apoio da família também foi fundamental para motivar os meninos. [Tem que ter] disposição 100% do tempo [para ajudá-los], mas na verdade eu procurava até não incomodar eles porque era muita pressão e estresse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *